Sensibilidade dentária  !!

que é hipersensibilidade dentinária? 

É uma dor nos dentes, forte e rápida (começa de “repente” e “passa logo”), causada por diversos motivos, tais como: ingestão de alimentos frios, doces, frutas cítricas, refrigerantes, durante a escovação ou até mesmo durante a respiração mais profunda.

A hipersensibilidade significa que o “nervo do dente” (polpa dentária) está doente?

Não, significa que a polpa do dente esta desprotegida, mais vulnerável à mudanças bruscas que ocorrerem no ambiente bucal.

Bem, vamos conhecer melhor o dente: ele é composto pelo esmalte, dentina, cemento e polpa.

A polpa é a parte “viva” do dente, composta por vasos sanguíneos, “nervos”, vasos linfáticos, células e fibras (tecido conjuntivo). 

Como saber se tenho hipersensibilid ou dor de dente causada por cáries?

A dor sentida na hipersensibilidade nunca começa espontaneamente e passa rapidamente, diferente da dor de dente provocada por cárie ou problemas no canal. Entretanto, a distinção entre hipersensibilidade e dor de dente deve ser feita pelo dentista.

Toda dor de dente é causada por uma agressão à polpa. Em um dente saudável, ela está protegida por uma camada de esmalte (que recobre a coroa) e uma de cemento (que recobre a raiz). 

Toda dor de dente é causada por uma agressão à polpa. Em um dente saudável, ela está protegida por uma camada de esmalte (que recobre a coroa) e uma de cemento (que recobre a raiz). 

Quando o esmalte ou o cemento são desgastados (por cárie, ingestão excessiva de alimentos ácidos, escovação errada, dentre outros) fica exposta a dentina, que se comunica com a polpa através de “poros” (túbulos dentinários).

 Ela não protege a polpa tão bem quanto o cemento e o esmalte (que não têm os mesmos “poros”) e permite que a polpa “sinta mais” as mudanças que ocorrem na boca (frio demais, excesso de açúcar, ácidos, toque das cerdas da escova e etc.).


Por que essa dor é mais comum no “pé do dente” ?


Esta é a região onde esmalte da coroa encontra o cemento da raiz. O cemento é menos resiste que o esmalte, e quando ocorrem retrações gengivais ele fica exposto, sendo desgastado com grande facilidade pela escovação e mastigação, além de ser mais facilmente atacado pela “cárie”. 
Já o esmalte tem uma boa resistência, porém escovar os dentes de forma incorreta também pode gastá-lo. O excesso de força sobre um dente durante a mastigação pode levar a quebra do esmalte nesta região. 
Sem a proteção do esmalte ou do cemento a dentina fica desprotegida, causando hipersensibilidade, e essa é a região que, com maior facilidade, apresenta a dentina exposta.


Como prevenir a hipersensibilidade?

Citaremos as principais medidas de prevenção, porém a melhor maneira de prevenir qualquer problema bucal é consultar regularmente um cirugião dentista

• escovar os dentes corretamente;
• ter uma mordida (oclusão) balanceada;
• diminuir a freqüência de ingestão de alimentos e bebidas ácidas;

Como tratar a hipersensibilidade dentinária?

Recobrir a dentina exposta com “gengiva” (cirurgia plástica periodontal) ou materiais restauradores é uma boa solução, porém nem sempre é viável. O uso de produtos dessensibilizantes (recomendados pelo seu dentista) pode ajudar, mas nem sempre é suficiente. Evitar pastas de dentes abrasivas, corrigir a escovação e evitar alimentos e bebidas ácidos é uma boa medida para amenizar as crises de hipersensibilidade. Consulte o seu dentista e procure saber o que é melhor para o seu caso.




 

Santa Apolônia – Odontologia 

Implantes e Cirurgia Oral 
Clínica Geral, Implantologia, Periodontia, Reabilitação 
R. Nove de Julho 2130 (próx. S.Carlos Clube)
Emergências: 3371-0251